sábado, janeiro 7

Facebook ou Twitter, por que usamos? Segundo o Criado do Google Plus.

“Social não é uma característica. Social não é um aplicativo. Social é uma motivação humana profunda que guia nosso comportamento quase a cada segundo que estamos despertos.”

Social Logon

Já parou para se perguntar o porquê que passamos tantas horas no Facebook ou Twitter? Pra que usamos essas ferramentas? Abaixo segue uma tradução de um estudo feito por um dos criadores da Time Line do Facebook e do Google Plus, Paul Adams. Entenda o porquê dessas questões, e sinta-se a vontade de compartilhar sua opinião.

Pare de falar sobre "social".

Por Paul Adams

Como eu Leio, assisto e escuto outras pessoas descreverem as mudanças em nossa indústria, eu estou constantemente vendo dois problemas:

- não o bastante, as pessoas estão reconhecendo que a web está sendo reconstruída fundamentalmente em torno de pessoas, e que isso vai mudar como todos nós fazemos negócios.  

- Muitas das pessoas que estão pensando sobre social, estão a pensar nisso como uma entidade distinta.

Deixe-me mostrar-lhe um exemplo de cada um.

Eu realmente gosto de A List Apart (um livro sobre Social WEB.  Mas o reviu dos seus leitores em 2011, onde seus leitores falaram sobre as maiores mudanças que viram em 2011, eu acho que eles perderam a maior mudança de todos - que a web está sendo reconstruída em torno de pessoas. Eles falaram sobre apps, primeiro celular, designer emocional, medição. Mas o projeto social foi uma omissão flagrante. Todos os designers devem ser reconhecidos, e devem estar no topo desta mudança. Sim,"social" tornou-se um chavão, e existem muitos charlatães que se vendem como "gurus de mídias sociais". Mas essa mudança é muito, muito real.

No Le Web duas semanas atrás, George Colony, CEO da Forrester, deu uma palestra interessante, onde ele descreveu três tempestades social. A primeira e a terceira foram interessantes – Deixando de usar Site para usarem Apps com interação na “núvem”, e a ascensão do design social dentro das empresas. Mas a segunda tempestade  é o lugar onde George se perdeu como os leitores do A List Apart.

George não entende a mudança com a web social. Ele disse que "social" é:
- Perda de tempo: as pessoas têm uma quantidade finita de tempo durante o dia e já estão interagindo com aplicações sociais mais do que muitas outras atividades tais como o exercício.
- Perda de pessoas: a penetração de pessoas que interagem com as aplicações sociais está atingindo 80 a 90%, portanto, não têm muito espaço para crescer.

Esta análise não faz sentido. Social não é uma característica. Social não é um aplicativo. Social é uma motivação humana profunda que guia nosso comportamento quase a cada segundo que estamos despertos. Não importa se estamos online ou offline, em um navegador ou usando um aplicativo. Os seres humanos são criaturas sociais. George diz que 86% dos consumidores online dos EUA são sociais, e descreve um "pós-social" do mundo. Novamente, isso não faz sentido. 100% dos consumidores on-line em todos os países do mundo são sociais, porque é profundo em nosso DNA para fazer conexões e interagir com outras pessoas.

 

Social

A grande mudança que George é mal-entendido é que a ascensão da web social é uma mudança estrutural a ser conduzido pela vida on-line a aproximar-se com a vida offline. Os vencedores neste mundo serão os únicos que assumem comportamentos sociais em tudo que fazem. Não serão os únicos a pensar social como uma característica ou um produto no isolamento. Os vencedores serão as empresas existentes que constroem em cima de plataformas sociais para repensar a forma como sua empresa opera. Aqui estão os três últimos, e simples,exemplos:

- Quando você compra bilhetes em Ticketmaster você pode ver se algum dos seus amigos do Facebook  compraram os bilhetes, e se sim, onde eles estão sentados. Simples. Deseja passar mais tempo juntos? Sentar ao lado deles. Quer ir sozinho? Sente-se longe, ou não comprar um bilhete.
- Quando você reservar voos na Air France, você pode ver se algum dos seus amigos do Facebook estão no mesmo vôo e onde eles estão sentados. Mesmo que Ticketmaster - sentar-se perto, ou distante.
- Quando você navega para presentes em Etsy, você pode usar as coisas que seus amigos gostaram no Facebook para filtrar os resultados. O seu amigo gosta de Bill Murray? Aqui estão todos os produtos de Bill Murray. Isso move a experiência de um conjunto aleatório e quase ilimitado de opções, a personalização sociais são profundas.

As empresas líderes estão reconhecendo que a web está se afastando de ser centrada em torno do conteúdo, a ser centrada em torno de pessoas. Esta é a maior tempestade social,e todos nós vamos ter que compreende-ló para ter sucesso. Então pare de falar sobre social como uma entidade distinta. Assumi-lá em tudo que faz.

Abaixo segue a entrevista do George Colony, para adicionar legendas Click no ícone  “CC” e selecione o Idioma.

 

George Colony, CEO of Forrester, Tempestade da web social.

Este texto é uma tradução livre, sinta-se a vontade de acessa o site do Paul Adams, Think out Side click aqui